Cantor que levou bebê para Farofa da Gkay quer evangelizar o público

GUO


 Estefany Boro e Jottapê Enfrentam Críticas após Levar Filha de 5 Meses à Farofa da Gkay


No centro de uma polêmica fervente, os influenciadores Estefany Boro e Jottapê se viram submersos em críticas após terem sido flagrados na "Farofa da Gkay" com sua filha de apenas cinco meses, Athena. O casal, que enfrentou uma enxurrada de comentários negativos e acusações por expor a criança ao ambiente festivo, defendeu sua decisão em uma série de declarações públicas.


Jottapê, conhecido cantor e influenciador digital, voltou a se pronunciar em relação ao ocorrido, lançando luz sobre o propósito religioso que embasou a presença da família no evento. Em uma tentativa de esclarecer a controvérsia, ele explicou que, como parte de sua prática religiosa, recentemente se envolveu em um batismo e conduz uma célula evangélica em sua residência.


"Eu e a Sté não viemos apenas pela festa, mas com um propósito maior. Após um mês de nosso batismo, decidimos vir e compartilhar a mensagem de Jesus com as pessoas presentes aqui", expressou Jottapê, referindo-se ao intuito espiritual por trás de sua participação no evento.


O artista se defendeu das críticas, revelando ter consultado seu pastor antes de tomar a decisão de comparecer à Farofa da Gkay junto com a filha recém-nascida. Ele argumentou que a intenção não era somente desfrutar do evento, mas sim transmitir valores religiosos, levando a mensagem de fé a um público diversificado.


Em uma tentativa de desafiar os críticos, Jottapê proferiu: "Em vez de julgar todos, por que não direcionar essas pessoas a Jesus? É muito mais confortável aceitar Jesus e julgar aqueles que ainda não aceitaram."


Expondo parte de uma conversa com seu pastor, o influenciador compartilhou detalhes sobre como tem conseguido impactar positivamente os presentes na Farofa da Gkay com suas palavras de cunho espiritual. "Se não falar de Jesus aqui, me diga quem mais o fará?", indagou ele em uma parte do diálogo compartilhado.


Jottapê não hesitou em explicar como a família administra a presença da filha em eventos festivos que podem se estender por longas horas. "Nós chegamos cedo, quando a música ainda está em um nível ambiente. Às 22h, quando os shows começam e o volume aumenta, nós nos retiramos com ela, permitindo que ela adormeça. Ela então fica com a babá, longe do som alto, enquanto nós retornamos à festa sem a presença dela", detalhou o artista.


A repercussão do caso se espalhou pelas redes sociais, gerando debates acalorados entre aqueles que condenam a exposição de uma criança tão jovem a um ambiente festivo e os que defendem a liberdade dos pais de decidirem o que consideram melhor para sua família.


A Farofa da Gkay, evento amplamente reconhecido por sua atmosfera festiva e presença de celebridades, tem sido o epicentro de inúmeras discussões, não apenas pela diversão proporcionada, mas agora também pelo embate moral e ético levantado pela presença de uma criança tão jovem em um ambiente considerado inadequado por muitos.


Enquanto os influenciadores buscam justificar suas ações, a controvérsia persiste, provocando reflexões sobre a conciliação entre vida social, responsabilidades parentais e crenças religiosas em um mundo cada vez mais conectado e exposto às redes sociais.


A discussão em torno do caso de Estefany Boro e Jottapê evidencia o dilema contemporâneo enfrentado por figuras públicas que, ao compartilharem partes de suas vidas pessoais, se deparam com um escrutínio implacável e opiniões divergentes que desafiam suas escolhas e ações.

#buttons=(Accept !) #days=(20)

Our website uses cookies to enhance your experience. Check Now
Accept !