Veja detalhes das denúncias das vítimas do influencer religioso preso por abuso sexual

GUO


"Influenciador Evangélico Victor Bonato Preso por Acusações de Estupro: Um Caso que Choca a Comunidade de Alphaville, São Paulo"

A comunidade de Alphaville, uma área nobre de Barueri, São Paulo, foi abalada recentemente por uma série de acusações graves envolvendo o influenciador evangélico Victor de Paula Gonçalves, também conhecido como Victor Bonato. O fundador do Galpão, um grupo religioso direcionado para jovens, foi preso pela polícia de São Paulo sob suspeita de estuprar três jovens, deixando a comunidade perplexa e indignada.

As denúncias surgiram no mês passado, quando duas estudantes de medicina, de 19 e 20 anos, e uma empresária de 24 anos foram à Delegacia da Mulher de Barueri para denunciar o influenciador. Elas alegaram que Bonato usou sua "influência religiosa" para manipulá-las e obrigá-las a ter relações sexuais com ele. O inquérito que levou à prisão temporária de Bonato levou em consideração a possibilidade de ele fugir, especialmente após ele afirmar que se "isolaria em um retiro espiritual" ao saber das queixas, desativando alguns de seus perfis na internet.

O juiz Fabio Calheiros do Nascimento, responsável pelo caso, destacou que as três vítimas tinham características físicas semelhantes e que os detalhes dos relatos dados por elas eram muito parecidos, indicando um padrão de comportamento por parte do influenciador. Os detalhes chocantes dos depoimentos revelam um padrão de abuso que aterrorizou as vítimas.

Detalhes dos Depoimentos:

Vítima 1:

A primeira vítima, uma estudante de 19 anos, relatou que Victor Bonato começou a agir de forma violenta no último mês de junho. Após um encontro consensual, ele a forçou a praticar atos sexuais contra sua vontade, incluindo violência física, sexual e psicológica.

Vítima 2:

Uma estudante de 20 anos descreveu um encontro em que Bonato a obrigou a tocar em seu órgão sexual contra sua vontade, mesmo após ela pedir para parar. Ele insistiu em atos sexuais não consensuais, causando-lhe grande desconforto e trauma.

Vítima 3:

Uma empresária de 24 anos relatou que Bonato usou sua influência religiosa para tentar forçá-la a ter relações sexuais com ele. Ele a pressionou com argumentos manipulativos e, em um encontro, a segurou com força, causando-lhe lesões, e a forçou a praticar sexo oral contra sua vontade.

Diante das evidências e da possibilidade de Bonato tentar fugir, o juiz decidiu pela prisão temporária, destacando a necessidade de proteger as vítimas e evitar que o influenciador prejudique as investigações em curso.

Confissão e Arrependimento:

Antes de sua prisão, Bonato publicou um vídeo confessando seus erros. Nele, ele admitiu ter cometido pecados e se envergonha das suas ações. Pediu perdão às vítimas e reconheceu o dano que causou não apenas a elas, mas também à comunidade religiosa do Galpão.

Esse caso continua a chocar a comunidade de Alphaville e levanta questões importantes sobre o abuso de poder e influência em contextos religiosos. As autoridades estão comprometidas em garantir que a justiça seja feita e que as vítimas recebam o apoio e a proteção de que precisam durante esse difícil processo. A prisão de Bonato serve como um lembrete sombrio de que todos devem ser responsabilizados por suas ações, independentemente de sua posição na sociedade.

#buttons=(Accept !) #days=(20)

Our website uses cookies to enhance your experience. Check Now
Accept !