Mia Khalifa perde contrato com a Playboy após defender Palestina

GUO

"Mia Khalifa Enfrenta Consequências Profundas por Defender a Palestina: Polêmicas e Perdas no Mundo dos Negócios"


A modelo e ex-atriz pornô Mia Khalifa se encontra no centro de uma tempestade de controvérsias e consequências profissionais após expressar seu apoio à Palestina durante os recentes conflitos com Israel. Khalifa, que é conhecida por sua atitude franca nas redes sociais, não apenas perdeu contratos importantes, mas também se viu envolvida em debates fervorosos sobre a liberdade de expressão e as complexidades do conflito no Oriente Médio.


Na última terça-feira, a Playboy anunciou sua decisão de encerrar o contrato com Khalifa e remover seu canal da plataforma, citando seus comentários "repugnantes e repreensíveis" celebrando os ataques do Hamas a Israel. Em um comunicado, a empresa afirmou: "Na Playboy, encorajamos a liberdade de expressão e o debate político construtivo, mas temos uma política de tolerância zero para discurso de ódio".


A resposta de Mia Khalifa às críticas foi caracteristicamente direta. No X, ela comentou: "Apoiando a Palestina, eu posso ter perdido oportunidades de negócios, mas estou mais zangada comigo mesma por não ter verificado se estava ou não entrando em negócios com sionistas. Que pena". Ela também twittou: "Se você consegue olhar para a situação na Palestina e não estar do lado dos palestinos, então você está do lado errado do apartheid e a história mostrará isso com o tempo".


A trajetória de Khalifa na mídia começou em 2014, quando ingressou na indústria pornográfica, tornando-se rapidamente uma das artistas mais vistas no Pornhub. No entanto, sua carreira foi marcada por controvérsias, incluindo ameaças de morte do ISIS e proibições de seus vídeos em vários países de maioria muçulmana. Apesar disso, ela se tornou uma figura popular nas redes sociais, acumulando mais de 28 milhões de seguidores no Instagram.


Após deixar a indústria pornográfica em 2015, Khalifa trabalhou como analista e comentarista esportiva, além de participar de vários documentários e programas de televisão. Atualmente, ela é criadora de conteúdo e modelo no OnlyFans. Em 2022, foi listada como uma das pessoas mais influentes da internet pela revista Time.


O caso de Khalifa não é isolado. Outras figuras públicas, como a empresária Kylie Jenner, também enfrentaram críticas e perderam seguidores por manifestarem apoio a Israel em meio ao conflito. A situação ressalta a complexidade dos debates políticos nas redes sociais e as repercussões significativas que podem surgir de opiniões controversas, especialmente quando relacionadas a conflitos profundamente enraizados e emocionalmente carregados. A liberdade de expressão e o equilíbrio entre opiniões pessoais e repercussões profissionais permanecem tópicos intensamente debatidos em uma era digital cada vez mais polarizada.

#buttons=(Accept !) #days=(20)

Our website uses cookies to enhance your experience. Check Now
Accept !