Famosos criticam proibição ao casamento homoafetivo

GUO

"Famosos Repudiam Projeto de Lei que Proíbe Casamento Homoafetivo no Brasil: 'Um Retrocesso Inaceitável'"


O Brasil se viu mergulhado em uma onda de indignação após a Comissão de Previdência, Assistência Social, Infância, Adolescência e Família da Câmara dos Deputados aprovar um polêmico projeto de lei que proíbe o casamento homoafetivo e a união estável entre pessoas do mesmo sexo. O resultado de 12 votos a 5 levou a comunidade LGBTQIA+ e seus aliados a se manifestarem contra o retrocesso nos direitos conquistados.


A decisão, que agora segue para as comissões dos Direitos Humanos e Constituição e Justiça da Câmara, desencadeou uma reação feroz de várias personalidades e figuras públicas no Brasil, que expressaram seu repúdio ao projeto. Entre eles, o economista e ex-BBB Gil do Vigor, que se manifestou em um vídeo nas redes sociais.


"Com tanta coisa acontecendo em nosso país, desastres naturais, tanta violência, tanto desemprego, fome, e os deputados estão preocupados em debater leis para tentar retroceder os direitos da comunidade LGBTQIA+. Nós temos o direito de ser felizes! Isso é um absurdo!", protestou Gil do Vigor.


A atriz Marcella Rica também expressou sua indignação, ressaltando que a decisão é absurda e representa um perigo real para os direitos conquistados pela comunidade LGBTQIA+ nos últimos anos. "O Gil fez isso de um jeito muito autêntico, que bate mesmo uma revolta, uma angústia muito ruim de ver que a gente mora nesse país que anda para trás", disse a artista.


Marcella criticou a utilização da religião como justificativa para o ódio e a homofobia. "É muito absurdo para mim, como mulher gay, cristã, que acredita muito em Deus e em Jesus, ver um livro que fala de amor ser utilizado de uma forma tão mesquinha, nojenta e asquerosa para tirar os meus direitos!", exclamou ela.


A cantora Maria Gadú, em um post nas redes sociais, também fez um apelo contra o preconceito. "Cuidem das famílias de vocês. Bando de machos escrotos querendo ditar sobre vidas sempre. Abandonam suas filhas e filhos e ainda têm a pachorra de se acharem no direito de decidir sobre o amor alheio", disse a artista.


O casal Aline Wirley e Igor Rickli, assumidamente bissexual, destacou a gravidade do retrocesso proposto pelo projeto. "Um retrocesso, um absurdo", comentou a cantora. Já o ator escreveu em inglês em suas redes sociais: "Love is love" (Amor é amor) e ressaltou: "Sem retrocesso… A luta pelo direito de ser livre só se intensifica!".


O influenciador e youtuber Felipe Neto criticou o texto e expressou esperança de que não seja aprovado pelo Supremo Tribunal Federal (STF). "É um projeto natimorto, não tem a mínima condição de ser realizado. É só o Congresso querendo mostrar o que ele representa, que infelizmente é o retrato de uma parcela muito significativa do nosso povo", comentou Felipe Neto em um podcast.


Além das críticas ao projeto, várias personalidades enfatizaram a importância do reconhecimento do casamento entre pessoas do mesmo sexo. Astrid Fontenelle destacou: "Esse reconhecimento do estado civil de casamento de pessoas do mesmo sexo é extremamente importante. As pessoas vivem, convivem, dividem e possuem bens".


A comunidade LGBTQIA+ e seus apoiadores continuam sua luta por igualdade e respeito, destacando que o amor não deve ser limitado por normas discriminatórias. A discussão sobre o projeto de lei permanece acalorada, com muitos esperando que a justiça prevaleça e os direitos fundamentais de todos sejam protegidos.

#buttons=(Accept !) #days=(20)

Our website uses cookies to enhance your experience. Check Now
Accept !