Nikolas protocola projeto contra banheiro por orientação sexual

GUO


 Deputado Federal Nikolas Ferreira Protocola Projeto Contra Uso de Banheiros por Identidade de Gênero em Escolas

Brasília, 22 de setembro de 2023- O deputado federal Nikolas Ferreira (PL-MG) causou um grande rebuliço no cenário político na noite desta sexta-feira (22) ao anunciar que protocolou um projeto de decreto legislativo em oposição à resolução nº 2, de 19 de setembro de 2023, emitida pelo Ministério dos Direitos Humanos. A resolução tem como objetivo orientar as escolas a permitirem que os alunos usem os banheiros de acordo com sua identidade de gênero, em vez de serem restritos pelo sexo biológico.

Nikolas Ferreira utilizou suas redes sociais para comunicar essa decisão e enfatizou que outros parlamentares da oposição também serão co-autores do projeto. Segundo o deputado, essa não é uma questão ideológica, mas sim uma questão anatômica e biológica que merece um debate sério e profundo.

A resolução nº 2, que foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) de 22 de setembro de 2023, foi emitida pelo Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania, através do Conselho Nacional dos Direitos das Pessoas Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Trans., Queers e Intersexos (LGBTQI+). Ela estabelece direitos para pessoas trans em instituições de ensino, incluindo o uso de banheiros de acordo com a identidade de gênero.

De acordo com a resolução, a identidade de gênero é definida como a forma como cada pessoa expressa seu gênero por meio de aparência física, vestimenta, gestos, fala, comportamento e outros aspectos. O objetivo é garantir o respeito à identidade de gênero de cada estudante, proporcionando um ambiente escolar mais inclusivo e igualitário.

O artigo 5º da resolução especifica que as instituições de ensino devem permitir o uso de banheiros e vestiários de acordo com a identidade e/ou expressão de gênero de cada estudante, inclusive quando não houver banheiros unissex disponíveis. Além disso, são recomendadas medidas para evitar discriminação e violência contra esse grupo, promovendo um ambiente educacional mais seguro e acolhedor.


A resolução tem recebido apoio de diversas organizações de direitos humanos e grupos LGBTQI+, que acreditam que essa é uma medida fundamental para combater a discriminação e a exclusão de pessoas trans nas escolas. Eles argumentam que o respeito à identidade de gênero é um direito humano básico que deve ser assegurado em todas as esferas da sociedade.

Por outro lado, o projeto de decreto legislativo apresentado pelo deputado Nikolas Ferreira tem gerado controvérsia e promete gerar debates acalorados nos próximos dias. O parlamentar argumenta que essa questão não deve ser tratada como uma questão ideológica, mas sim como uma questão anatômica e biológica.

Ferreira alega que a diferenciação entre os banheiros com base no sexo biológico é necessária para proteger a privacidade e a segurança dos estudantes, especialmente das meninas. Ele afirma que permitir que pessoas trans usem os banheiros de acordo com sua identidade de gênero pode criar situações desconfortáveis e inseguras.

Além disso, o deputado argumenta que a resolução do Ministério dos Direitos Humanos não leva em consideração os valores e as crenças de muitos brasileiros, que têm visões diferentes sobre questões de gênero e identidade. Ele acredita que essa decisão deveria ser deixada a critério das escolas e das famílias, em vez de ser imposta pelo governo.

A polêmica em torno desse projeto de decreto legislativo e da resolução do Ministério dos Direitos Humanos promete se intensificar nos próximos dias, à medida que os defensores e opositores dessas medidas expressam suas opiniões e argumentos. A questão do uso de banheiros por identidade de gênero se tornou um ponto central no debate sobre direitos LGBTQI+ no Brasil e continuará a gerar discussões e controvérsias no cenário político nacional.

#buttons=(Accept !) #days=(20)

Our website uses cookies to enhance your experience. Check Now
Accept !