Lula é chamado de “ladrão” e “pinguço” em protesto nos EUA

GUO


 Presidente Lula é alvo de protesto em Nova Iorque durante visita à ONU

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), enfrentou um protesto contundente enquanto estava em Nova Iorque para participar da 78ª Assembleia Geral das Nações Unidas. No último domingo (17), durante uma manifestação nas imediações do evento, Lula foi alvo de insultos ásperos, sendo chamado de "ladrão", "cachaceiro" e "pinguço" por um grupo de mulheres.

Em um vídeo que circula freneticamente pelas redes sociais, é possível ouvir as manifestantes pedindo que os seguranças do presidente se afastem enquanto entoam o coro: "Lula, ladrão, seu lugar é na prisão!" Os ânimos exaltados dos manifestantes deixaram clara a polarização política que persiste no Brasil mesmo à distância.

Apesar desse episódio lamentável, a agenda de Lula nos Estados Unidos segue inabalável. Está prevista uma reunião bilateral de extrema importância com o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, que acontecerá em um hotel de Nova Iorque na próxima quarta-feira (20). A pauta do encontro não foi divulgada oficialmente, mas a expectativa é de que temas de interesse mútuo, como comércio, meio ambiente e relações internacionais, estejam entre os tópicos a serem discutidos.

Lula deve permanecer em solo norte-americano até pelo menos a próxima quinta-feira (21), participando de compromissos relacionados à Assembleia Geral da ONU e aprofundando relações diplomáticas com outros líderes mundiais. Esta visita à ONU é vista como um passo importante na retomada do protagonismo internacional do Brasil após anos de turbulência política.

O Protesto e suas Implicações

O protesto que teve como alvo o presidente Lula ocorreu no Central Park, um dos pontos mais icônicos de Nova Iorque, e reuniu um grupo de mulheres que, de maneira incisiva, expressaram seu descontentamento com a presença do ex-presidente brasileiro na cidade. Os manifestantes empunhavam cartazes com mensagens diversas, algumas pedindo a prisão de Lula, enquanto outras criticavam a corrupção e a gestão do Partido dos Trabalhadores (PT) durante seu governo.

A polarização política que se instalou no Brasil nos últimos anos também parece ter cruzado fronteiras, chegando até mesmo aos eventos internacionais. A reação dos seguranças de Lula foi rápida, mas não foi possível evitar que os protestos causassem um desconforto evidente durante a estadia do presidente brasileiro nos Estados Unidos.

Agenda Internacional de Lula

Apesar do episódio desagradável, o presidente Lula manteve sua agenda inalterada. Ele está em Nova Iorque para participar da Assembleia Geral da ONU, um evento crucial para discutir os desafios globais, como as mudanças climáticas, a pandemia de COVID-19, os conflitos regionais e os direitos humanos. Durante sua participação no evento, Lula deve abordar questões que têm impacto direto na política e economia global, bem como no futuro do Brasil como ator importante no cenário internacional.

O encontro com o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, promete ser um dos pontos altos desta visita. Os dois líderes políticos têm a oportunidade de discutir assuntos de interesse mútuo, como as relações bilaterais entre os Estados Unidos e o Brasil, o comércio internacional e os esforços conjuntos para combater a mudança climática. Além disso, é esperado que temas relacionados à pandemia, como o acesso global às vacinas, também estejam na pauta.

A expectativa é de que o encontro entre Lula e Biden ajude a reforçar as relações entre os dois países, que têm históricos altos e baixos em termos de cooperação. A presença de Lula em Nova Iorque oferece uma oportunidade única para reafirmar o compromisso do Brasil com a diplomacia e a busca por soluções conjuntas para os desafios globais.

Retomada do Protagonismo Internacional do Brasil

A visita de Lula à Assembleia Geral da ONU é vista como parte de uma estratégia mais ampla para reconstruir o protagonismo internacional do Brasil. Nos últimos anos, o país enfrentou desafios significativos em sua imagem internacional devido a questões como a gestão da pandemia de COVID-19 e preocupações ambientais relacionadas ao desmatamento na Amazônia.


A presença de Lula em eventos como a Assembleia Geral da ONU representa uma oportunidade para o Brasil reafirmar seu compromisso com a cooperação global, a proteção do meio ambiente e a promoção dos direitos humanos. Além disso, a reunião com líderes de outros países oferece a chance de estabelecer parcerias estratégicas e comerciais que podem impulsionar a economia brasileira e fortalecer sua posição no cenário internacional.

Em um momento em que as questões globais exigem cooperação e liderança, a presença de Lula em Nova Iorque é vista como um passo positivo na direção de um Brasil mais ativo e engajado no cenário internacional.

O protesto ocorrido em Nova Iorque durante a visita do presidente Lula à 78ª Assembleia Geral das Nações Unidas ressalta a polarização política que continua a afetar o Brasil, mesmo em eventos internacionais. No entanto, o presidente manteve sua agenda inalterada e está determinado a aproveitar sua estadia nos Estados Unidos para fortalecer as relações diplomáticas e discutir questões de interesse global.

A reunião com o presidente Joe Biden representa uma oportunidade crucial para abordar temas como comércio, mudança climática e a luta contra a pandemia. Além disso, a visita de Lula à ONU é parte de um esforço mais amplo para restaurar o protagonismo internacional do Brasil e reafirmar seu compromisso com a cooperação global.

Enquanto o protesto pode ter gerado controvérsia, a presença de Lula em Nova Iorque continua a ser um marco importante nas relações internacionais do Brasil, destacando o papel do país no cenário global e sua busca por soluções conjuntas para os desafios que o mundo enfrenta.

#buttons=(Accept !) #days=(20)

Our website uses cookies to enhance your experience. Check Now
Accept !