Soluções Avançadas de Captação de Água do Ar no EUA, Israel e Brasil

GUO


 Pesquisadores da UC Berkeley Revolucionam Captação de Água em Ambientes Secos

Pesquisadores da Universidade da Califórnia, Berkeley (UC Berkeley), deram um importante passo no desenvolvimento de tecnologias de captação de água em ambientes extremamente secos. Um pequeno dispositivo criado pela equipe da UC Berkeley mostrou-se eficiente ao captar água do ar no Parque Nacional do Vale da Morte, considerado o local mais seco da América do Norte.

Esse feito surpreendente foi possível graças ao uso de uma estrutura metalorgânica (MOF), que possui uma elevada porosidade capaz de capturar moléculas de água presentes no ar e convertê-las em água potável em estado líquido. O equipamento conseguiu produzir a impressionante quantidade de um copo de água para cada quilo de MOF utilizado.

Outro aspecto positivo desse dispositivo é sua fonte de energia limpa. Ele é movido por energia solar, o que o torna livre de emissões de gases poluentes, contribuindo para a luta contra as mudanças climáticas.

A expectativa é que essa tecnologia seja amplamente utilizada, desde aplicações domésticas, suprindo as necessidades cotidianas das famílias, até uso na agricultura. Ela pode se tornar uma solução valiosa para cidades localizadas em áreas áridas, bem como para regiões que possuem fontes de água, mas que enfrentam alto grau de poluição.

Os resultados desse estudo foram publicados na prestigiada revista Nature, destacando a relevância dessa inovação para o cenário global da captação de água.

O conceito de coletar água do ar já é explorado há muitos anos, atraindo a atenção de empresas e pesquisadores ao redor do mundo. A empresa brasileira Wateair tem se destacado nesse campo desde 2010, fornecendo máquinas que geram água a partir do ar. Seu foco principal é atender empresas farmacêuticas e hospitalares, oferecendo sistemas que não apenas coletam água, mas também tratam, corrigem o pH e adicionam sais minerais.

Embora a Wateair tenha desenvolvido modelos para uso doméstico, o custo ainda é uma questão, uma vez que algumas peças precisam ser importadas. Apesar disso, a empresa tem se mantido na vanguarda dessa tecnologia no Brasil.

Além da Wateair, a empresa israelense Watergen também oferece uma tecnologia semelhante e já doou 11 máquinas de água ao governo brasileiro em 2019, com o objetivo de promover sua tecnologia no país.

Outros países, como México e Peru, também têm buscado soluções para a captação de água do ar. No Peru, redes são usadas para coletar névoa, condensando as moléculas de água para consumo humano. No entanto, esse método requer altos níveis de umidade no ar para ser eficaz.

O que torna a tecnologia desenvolvida pela UC Berkeley notável é sua capacidade de produzir água de forma autossuficiente, graças às baterias solares que alimentam o dispositivo. Em contraste, os equipamentos da Wateair e da Watergen ainda dependem de fontes externas de eletricidade, embora sejam capazes de produzir grandes quantidades de água potável diariamente.

Esses avanços na captação de água podem ter um impacto significativo em comunidades que enfrentam escassez de água e desafios ambientais. Com tecnologias cada vez mais eficientes e sustentáveis, a esperança é que a água se torne mais acessível e segura para todos, independentemente das condições climáticas. A inovação da UC Berkeley representa um passo importante nessa direção, abrindo caminho para um futuro mais sustentável e resiliente em relação à água.

#buttons=(Accept !) #days=(20)

Our website uses cookies to enhance your experience. Check Now
Accept !