Novo Fenômeno Espacial: Planetas Compartilham a Mesma Órbita, Dizem Astrônomos

GUO

Astrônomos Encontram Evidências de Planetas Compartilhando Órbita ao Redor de Estrela Distante

Em um emocionante desenvolvimento astronômico, pesquisadores podem ter encontrado a primeira evidência de dois planetas compartilhando a mesma órbita ao redor de uma estrela. O sistema solar em questão é conhecido como PDS 70, localizado a impressionantes 400 anos-luz de distância da Terra. Até agora, dois planetas foram confirmados no sistema, PDS 70b e PDS 70c. No entanto, uma recente descoberta deixou os cientistas intrigados: uma nuvem de detritos que parece seguir a mesma exata órbita de PDS 70b.

A descoberta sugere a possibilidade de um terceiro planeta, que pode estar se formando na região ou ser os destroços de um mundo anterior. Acredita-se que esses planetas compartilhando órbita sejam chamados de troianos ou planetas co-orbitais. Essa teoria foi levantada há cerca de 20 anos, e agora, pela primeira vez, parece estar perto de ser comprovada.

Olga Balsalobre-Ruza, estudante de doutorado no Centro de Astrobiologia de Madri e coautora do artigo que relata a descoberta, descreve a emoção de encontrar evidências que favorecem essa teoria. "Quem poderia imaginar dois planetas compartilhando a mesma duração do ano e condições de habitação? Nosso trabalho é a primeira evidência de que este tipo de mundo pode existir", afirmou a autora.

Embora ainda não seja confirmado, os pesquisadores estão entusiasmados com a possibilidade de dois planetas co-orbitais existirem em um mesmo sistema estelar. A ideia de planetas compartilhando a mesma órbita, em vez de apenas asteroides, como é o caso de Júpiter, é surpreendente e intrigante.

A equipe de Balsalobre-Ruza encontrou o possível exoplaneta troiano em dados coletados pelo Atacama Large Millimeter Array (ALMA), um rádio-observatório altamente avançado. Eles agora estão analisando os arquivos cuidadosamente em busca de mais evidências. A confirmação dessa descoberta pode levar algum tempo, pois o ALMA só poderá ser apontado na direção do sistema PDS 70 em 2026, quando serão analisados os padrões orbitais do planeta PDS 70b e da nuvem de detritos.

Se essa descoberta for confirmada, será um marco importante no campo de estudos exoplanetários, abrindo novas perspectivas e desafios para nossa compreensão do universo e a diversidade dos sistemas estelares que existem além do nosso próprio sistema solar. Com cada nova descoberta, nosso conhecimento sobre o cosmos continua a expandir, revelando maravilhas que continuam a nos surpreender.

#buttons=(Accept !) #days=(20)

Our website uses cookies to enhance your experience. Check Now
Accept !